Ministério da Saúde inclui Patos em pesquisa com testes rápidos para Covid-19

O Estudo financiado pelo Ministério da Saúde vai entrevistar e testar cerca de 100 mil pessoas. Os entrevistadores irão a campo de 15 em 15 dias.

Até domingo (17/05) os entrevistadores da pesquisa Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional estarão em campo entrevistando e testando cerca de 33 mil pessoas em 133 municípios. Essa é a primeira fase da pesquisa, que teve início no dia 14 de maio. As próximas coletas estão previstas para acontecer em 28 e 29 de maio e 11 e 12 de junho. Nas três etapas, quase 100 mil pessoas terão sido testadas. O estudo é financiado pelo Ministério da Saúde, coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), do Rio Grande do Sul, e executado pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope).

O objetivo é avaliar a evolução da prevalência de infecção por Covid-19 no Brasil, por isso o governo federal disponibilizou testes rápidos que detectam a presença de anticorpos IgM (de infecção mais recente) e IgG (de infecção mais antiga) para o novo coronavírus a partir de amostras de sangue coletadas por punção digital. Os resultados do estudo servirão para fornecer dados mais precisos sobre a doença, traçar estratégias para o combate da pandemia e basear ações e programas de prevenção.

A coleta de dados se dará no âmbito domiciliar. Em cada domicílio sorteado para a amostra, será anotada a lista de moradores, e um deles será sorteado para participar do inquérito. A cada nova etapa, a amostragem incluirá os mesmos setores censitários, mas domicílios diferentes daqueles incluídos nos inquéritos anteriores.

A pesquisa
Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional serão informados sobre o intuito da pesquisa, riscos e vantagens. O material e informações só serão coletados após assinatura do termo de consentimento livre e informado. Todos os indivíduos testados em campo terão um número de telefone celular registrado para que possam receber informação sobre o resultado do teste.

No caso de algum teste resultar em positivo, a Secretaria Municipal de Saúde será informada para providências necessárias e os protocolos do MS serão aplicados. As medidas de segurança biológica também serão adotadas, de forma a garantir a proteção da saúde dos entrevistados e dos integrantes das equipes de campo que atuam na coleta dos dados e do material.

A pesquisa envolve risco mínimo para a saúde dos participantes, pois consiste na aplicação de um questionário curto e realização de teste rápido. Se houver qualquer desconforto, o participante poderá deixar de participar a qualquer momento, conforme previsto no termo de consentimento livre e informado.

Lista de municípios da pesquisa

Norte
Acre (2): Rio Branco, Cruzeiro do Sul.
Amapá (2): Macapá, Oiapoque.
Amazonas (4): Manaus, Tefé, Lábrea, Parintins.
Pará (7): Belém, Castanhal, Marabá, Redenção, Santarém, Altamira, Breves.
Rondônia (2): Porto Velho, Ji-Paraná.
Roraima (2): Boa Vista, Rorainópolis.
Tocantins (3): Palmas, Araguaína, Gurupi.

Nordeste
Alagoas (2): Maceió, Arapiraca.
Bahia (10): Salvador, Santo Antônio de Jesus,Itabuna, Vitória da Conquista, Guanambi, Barreiras, Irecê, Juazeiro, Paulo Afonso, Feira de Santana.
Ceará (6): Fortaleza, Quixadá, Iguatu, Juazeiro do Norte, Crateús, Sobral.
Maranhão (5): São Luís, Presidente Dutra, Bacabal, Caxias, Presidente Dutra, Imperatriz.
Paraíba (4): João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa.
Pernambuco (4): Recife, Caruaru, Serra Talhada, Petrolina.
Piauí (6): Teresina, Parnaíba, Picos, São Raimundo Nonato, Corrente, Floriano.
Rio Grande do Norte (3): Natal, Caicó, Mossoró.
Sergipe (2): Aracaju, Itabaiana.

Sudeste
Espírito Santo (4): Vitória, São Mateus, Colatina, Cachoeiro do Itapemirim.
Minas Gerais (13): Belo Horizonte, Montes Claros, Teófilo Otoni, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Barbacena, Varginha, Pouso Alegre, Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas, Divinópolis.
Rio de Janeiro (5): Rio de Janeiro, Volta Redonda, Petrópolis, Campos dos Goytacazes, Macaé.
São Paulo (11): São Paulo, Sorocaba, Bauru, Marília, Presidente Prudente, Araçatuba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Araraquara, Campinas, São José dos Campos.

Sul
Paraná (6):  Curitiba, Guarapuava, Cascavel, Maringá, Londrina, Ponta Grossa.
Santa Catarina (7): Florianópolis, Criciúma, Lages, Chapecó, Caçador, Joinville, Blumenau.
Rio Grande do Sul (8): Porto Alegre, Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul.

Centro-Oeste
Goiás (6): Goiânia, Itumbiara, Rio Verde, Iporá, Porangatu, Luziânia.
Mato Grosso (5): Cuiabá, Cáceres, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis.
Mato Grosso do Sul (3): Campo Grande, Dourados, Corumbá.

Distrito Federal: Brasília
Fonte: – Secretaria de Atenção Primária a Saúde / Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *