Criança toma água sanitária após confundir produto com água em Patos; pediatra alerta sobre riscos e traz orientações

Um menino de apenas 8 anos de idade tomou água sanitária, na manhã desta terça-feira, após pedir água a sua mãe, que acabou confundindo os recipientes na mesa e deu a substância tóxica ao filho sem querer. A criança ingeriu um pouco de água sanitária e logo começou a vomitar.

Ao ver a cena, sai mãe percebeu que havia cometido o engano e acionou o SAMU de Patos, por volta das 10h, no bairro São Sebastião.

De acordo com as informações repassadas ao Patosonline.com, a mãe havia colocado água sanitária em um recipiente e teria deixado na mesa. Quando o seu filho pediu água para beber ela colocou em um recipiente parecido com o que ela havia colocado água sanitária. Com isso, ela acabou confundindo as vasilhas na hora de repassar para o seu filho.

A criança foi levada ao Hospital Infantil Noaldo Leite, em Patos, onde passou por uma lavagem. Seu estado de saúde atual ainda não foi divulgado pela equipe médica.

Nesses casos, o que fazer?

A reportagem do Patosonline.com conversou com o pediatra Dr. Umberto Junior sobre este caso e buscou orientações sobre como proceder diante de um fato tão grave e que medidas tomar para evitar esse tipo de ocorrência.

“Venho orientar sobre os cuidados preventivos, principalmente quando se trata de substâncias tóxicas. Nós devemos trabalhar no sentido de evitar o contato físico, ou que fique, de alguma forma, impossível de a criança ter algum tipo de acesso ao produto. O grande segredo é evitar que a criança chegue a esse tipo de substância. Os produtos têm que estar em locais de difícil acesso ou ambientes fechados”, alertou o pediatra.
Caso o produto seja ingerido ou o contato seja efetuado, é preciso socorrer a criança para o atendimento especializado o mais breve possível.

“Se o contato chegar a acontecer, é importante que a criança seja levada rapidamente a um serviço de pronto-atendimento, para que a criança seja avaliada. Dependendo do contato ou se houve ingestão, as medidas necessárias precisam ser tomadas urgentemente, com o objetivo de evitar graves consequências ou sequelas”, disse Dr. Umberto.

Patosonline.com

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *