Acusado de matar radialista em Itaporanga é condenado a 14 anos de prisão

O réu Cícero Brasilino de Sousa (de amarelo na foto acima) foi condenado a uma pena de 14 anos de reclusão po homicídio qualificado, fato ocorrido em fins de agosto de 2019. A juíza Brena Brito, que presidiu a sessão do Tribunal d Júri, leu a sentença no começo da noite desta quarta-feira, 28, depois de 8 horas de julgamento.

Após o fim do júri, o réu foi reconduzido à cadeia pública de Itaporanga, onde já está recolhido há um ano e oito meses e lá deverá permanecer para o cumprimento da pena instituída pelo Conselho de Sentença. Os jurados fora convencidos da autoria e materialidade do crime que tirou a vida de Denisvaldo Mendes Pacheco pelas provas contidas n processo penal e apresentadas durante a sessão pelo promotor Sócrates Agra. Já a defesa, a cargo do advogado Welingto Cleberson, não logrou êxito em sua tentativa de inocentar o acusado.

Antes da sessão de julgamento, os jurados e familiares de réu e vítima, cinco membros de cada família, fora submetidos a testes contra a Covid-19 para terem acesso ao local do julgamento. Três julgadores foram testados positivo para a doença viral e terminaram dispensados do julgamento.

Os familiares de ambas as partes se comportaram satisfatoriamente no curso do julgamento e o júri ocorreu se incidentes. Os embates e polêmicas ficaram no âmbito do debate entre acusação e defesa.

Folha do Vale

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *