Cresce número de pessoas em situação de rua e em pobreza absoluta na cidade de Patos

A rua como espaço de moradia é uma realidade para cerca de 40 pessoas na cidade de Patos. A informação foi dada pela coordenadora do Centro Pop, Socorro Oliveira, durante entrevista na manhã desta terça-feira, dia 18, para esclarecer a situação vivida pelo senhor Francisco Luís da Silva, 49 anos, que está morando em praça pública.

De acordo com a Secretaria Nacional de Assistência Social, a caracterização da população em situação de rua ficou definida como: grupo populacional heterogêneo, composto por pessoas com diferentes realidades, mas que têm em comum a condição de pobreza absoluta, vínculos interrompidos ou fragilizados e falta de habitação convencional regular, sendo compelido a utilizar a rua como espaço de moradia e sustento, por contingência temporária ou de forma permanente.

Socorro Oliveira relatou que Francisco Luís está sendo assistido pelo Centro Pop e pela Secretaria de Desenvolvimento Humano da Prefeitura Municipal de Patos, porém existem limitações devido à falta de documentos pessoais que dificultam o direito aos benefícios ainda existentes. Francisco Luís é acometido de diabetes e teve que ser internado por cerca de 20 dias no Hospital Regional de Patos e se percebe confusão mental momentânea.

O Centro Pop, localizado na Rua Pedro Firmino, Centro de Patos, funciona das 07h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h40 de segunda a sexta-feira. A maioria dos atendidos é do sexo masculino e vivem em situação de rua por inúmeras situações de vulnerabilidade social. Os atendidos recebem refeições, produtos de higiene pessoal, tem encaminhamentos para setores jurídicos para resolverem pendências em documentos.

Assistentes sociais relatam que existe a necessidade de ampliação de aparelhos para atender a demanda crescente de pessoas em situação de rua. “A gente enxuga gelo! Existe a necessidade de uma casa de acolhimento para adultos e de políticas efetivas que aos poucos restabeleça a vida social destas pessoas. Em Patos se faz o possível, mas ainda é pouco diante da real necessidade de vulnerabilidade social destas pessoas”, comentou um profissional da assistência social que preferiu não se identificar.

Tem se tornado comum encontrar pessoas utilizando calçadas, praças e ambientes inadequados para dormir na cidade de Patos. Edjane Araújo, secretária de Desenvolvimento Humano do Município de Patos, disse que o Governo Federal tem diminuído cada vez mais os recursos da assistência social e vem causando danos graves aos serviços.

Patosonline.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *