NO VALE: Diretor de cadeia pública é condenado a 15 anos de reclusão por cobrar propina para transferir presos

A justiça estadual condenou nessa quarta-feira (24), o servidor público estadual, José Gilberto Ferreira, conhecido por “Bertinho Moreira”, de 54 anos, natural de São José de Caiana-PB, para o cumprimento de 15 (quinze) anos e 01 (um) mês de reclusão inicialmente em regime fechado, pela prática de diversos crimes cometidos quando ele era diretor da Cadeia Pública da cidade de Itaporanga, entre eles, peculato.

A condenação atingiu também, o comerciante Gilcleneide Ferreira Leite, conhecido pelo apelido de “Cleneide Moreira”, irmão do ex-diretor, ao cumprimento de 09 (nove) anos e 07 (sete) meses de reclusão em regime inicialmente fechado.

Na denúncia do Ministério Público, diz que Bertinho Moreira, entre os anos de 2012 a 2015, valendo-se da qualidade de Diretor da Cadeia Público, desviou em proveito próprio e do seu irmão, insumos alimentícios mensalmente enviados pela Secretaria de Administração Penitenciária à Cadeia para fornecimento aos presos, bem como, no mês de março de 2015, recebeu, para si, diretamente, em razão da função, vantagem indevida para efetivar a transferência dos custodiados Lucas Galdino Soares Pinto e Fábio Martins Araújo Santos, da Penitenciária de Patos para a Cadeia Pública local. A denuncia traz ainda, que Bertinho inseriu declaração falsa em documentos públicos, a fim de alterar a verdade sobre fatos juridicamente relevantes, ao elaborar ofício e preencher folhas de frequência de apenado, destinados ao Juízo da Execução Penal da Comarca de Itaporanga.

CLICK AQUI PARA VER A CONDENAÇÃO

Na decisão, proferida pelo Juiz Antonio Eugênio Leite Ferreira Neto, o magistrado comentou que depois deste lamentável fato, ele registra que as Cadeias Públicas do Vale do Piancó foram assumidas por agentes penitenciários concursados do quadro da Secretaria da Administração Penitenciária, verificando que houve grandes melhorias em termos de gestão e fiscalização das unidades prisionais, confirmando que o sistema penitenciário deve ser dirigido e gerenciado por servidores oriundos de seus quadros para que fatos lamentáveis, como os constantes nesses na condenação, sejam evitados.

“Registro que a Comarca de Itaporanga já reúne todos os requisitos necessários para a aquisição de um Presídio Regional que venha a resolver o problema de superlotação carcerária de todo o Vale do Piancó”, finalizou.

Em junho de 2015, o ex-diretor da Cadeia Pública de Itaporanga foi preso através de um mandado de prisão expedido pelo juiz da 2ª Vara da Comarca local, Carlos Gustavo Guimarães, depois de uma investigação que apurava a cobrança de propina para transferir presos. Ele teria sido solto após seis meses de cárcere.

Diamante Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *