Contador da Prefeitura de Catingueira se diz surpreso com denúncia do MPF

Contador da Prefeitura de Catingueira se diz surpreso com denúncia do MPF

0
COMPARTILHAR

O contador Radson dos Santos Leite enviou uma nota a imprensa se defendendo da denúncia feita pelo Ministério Público Federal que acabou denunciando sete pessoas em um esquema que teria desviado R$ 4 milhões.

Veja abaixo a nota enviada a imprensa:

“NOTA DE ESCLARECIMENTOS À IMPRENSA

Eu, RADSON DOS SANTOS LEITE, Contador há 17 anos sempre atuando na área pública, pautado pela honestidade e honradez, com serviços prestados a vários órgãos da administração pública municipal no Estado da Paraíba e Ceará, venho através deste prestar esclarecimentos sobre a ação promovida pela Ministério Público Federal contra administradores do município de Catingueira relativo ao período de 2005 à 2012:
1. Com imensa SURPRESA li a notícia em que fui incluído na ação promovida pelo MPF/PB, sem nunca sequer ter sido intimado para prestar depoimento ou esclarecimento em nenhuma fase desse processo.
2. A ação de investigação segundo o próprio MPF/PB se dar a partir de 2005 até 2012. Venho esclarecer inicialmente que prestei assessoria contábil a prefeitura de Catingueira no período total de 01 de janeiro de 2009 à 05 de julho de 2012, ou seja por três anos e seis meses. Sendo que em maio de 2012 por decisão judicial o prefeito Edivan Félix foi afastado do exercício do cargo, assumindo interinamente o vice prefeito Odir Borges ao qual permaneceu no cargo de maio à julho de 2012, totalizando três meses, período esse que teve suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas da Paraíba, ressalto que atualmente presto serviço como Contador na gestão do atual prefeito Odir Borges. Com o retorno do Sr. Edivan Félix ao cargo de prefeito no mês de julho de 2012 não mais permaneci como Contador da Prefeitura de Catingueira.
3. Esclareço ainda que a função do Contador é apenas escriturar todos os documentos de acordo com a legislação vigente, formulando os balancetes mensais, a prestação de contas anual e outras informações prestadas aos órgãos fiscalizadores, sempre baseados nos documentos fornecidos pela administração pública, ou seja, o seu trabalho dar-se a partir dos documentos fiscais (recibos e notas fiscais), extratos bancários e outros, não cabendo-lhe a ele duvidar da veracidade de tais documentos a ele apresentado, por não se tratar de processo de auditoria contábil, na qual tal papel é de competência dos órgãos fiscalizadores. Informo que nesses 17 anos de profissão nunca prestei assessoria a Comissões de Licitações.
4. Ao examinar os autos do processo, o MPF/PB alega que os demais envolvidos frequentavam o meu escritório para elaborar documentos destinados a essas fraudes ora investigada. Ressalto que prefeitos e seus assessores na qualidade de clientes do meu escritório frequentam suas dependências para tratarem de assuntos corriqueiros da administração municipal em vista que tenho por obrigação de recebe-los. Qual profissional não recebe seus clientes em seu escritório?
Afirmo, ainda, que em nenhum momento foi tratado com a minha pessoa de assuntos ora investigados pelo MPF/PB em sua denúncia.
5. Conforme ressaltei anteriormente que para minha SURPRESA a inclusão do meu nome na referida denúncia, pelo fato de nunca ter sido intimado a depor ou prestar qualquer tipo de esclarecimento neste processo. Outro ponto que gostaria de ressaltar é que em depoimento ao -Ministério Público Federal um dos denunciados Sr. Marconi Edson Lustosa Félix “DUDA”, referente ao Processo nº 0800757-12.2017.4.05.8205 afirma que o Contador RADSON não tinha consciência dos atos praticados, conforme cópia do depoimento abaixo e contido na página 05/35:

6. VENHO ESCLARECER QUE ESTOU TOMANDO AS MEDIDAS CABÍVEIS PARA PROVAR MINHA INOCÊNCIA NO DECORRER DO PROCESSO, RESSALTO AINDA QUE MINHA HISTÓRIA PROFISSIONAL SEMPRE PAUTEI O MEU TRABALHO BASEADO NA HONESTIDADE, HONRADEZ, ZELANDO SEMPRE PELO MEU NOME PROFISSIONAL E DE MEUS CLIENTES, UMA VEZ QUE EM TODO O PERÍODO DA MINHA VIDA PROFISSIONAL NUNCA HOUVE UM ATO QUE DESABONE A MINHA CONDUTA PROFISSIONAL.

Patos/PB, 25 de setembro de 2017.

Atenciosamente,

RADSON DOS SANTOS LEITE
CONTADOR

COMPARTILHAR